Galp Energia prevê investir mais de 1,4 mil milhões de euros por ano até 2017

05/03/2013  


Este montante será investido, em grande parte, no negócio de Exploração e Produção no Brasil, Moçambique e Angola. Em 2013, o investimento da petrolífera será entre 1,2 mil milhões de 1,4 mil milhões de euros, revela a empresa no seu Capital Markets Day 2013.

Num documento intitulado “Um operador integrado de energia focado na exploração e produção”, a Galp Energia revela que reviu em alta as suas previsões de investimento até 2017. O investimento da petrolífera deverá agora situar-se entre os 1,4 mil milhões e os 1,6 mil milhões de euros por, “sendo alocado essencialmente ao negócio de Exploração & Produção, nomeadamente ao desenvolvimento das áreas Carcará, Júpiter e Iara, no Brasil, ao desenvolvimento do projecto de GNL em Moçambique e do Bloco 32 em Angola”.

A empresa liderada por Ferreira de Oliveira (na foto) explica que a “revisão em alta do investimento em comparação com a estimativa de investimento anunciada a 6 de Março 2012 deve-se sobretudo aos recentes sucessos, nomeadamente aos desenvolvimentos das áreas de Carcará, de Júpiter e de Iara, no Brasil, ao desenvolvimento do projecto de GNL na bacia do Rovuma, em Moçambique e ao Bloco 32 em Angola”.

O investimento previsto para 2013 – entre 1,2 mil milhões e 1,4 mil milhões de euros – será “alocado sobretudo a actividades de desenvolvimento na área de Lula/Iracema”.

A Galp Energia prevê que o esperado aumento de produção durante os próximos anos tenha um impacto positivo na geração de resultados e antecipa que o EBITDA cresça a uma taxa média anual superior a 25% entre 2012 e 2017, com o negócio de Exploração e Produção a “representar cerca de 70% do EBITDA em 2017”.

Em 2013, a Galp Energia antecipa que o EBITDA se situe entre os 1,1 mil milhões e os 1,3 mil milhões de euros, “sustentado pelo negócio de Exploração e Produção e pelo arranque das operações do projecto de conversão das refinarias”.

“A empresa espera que o ‘free cash flow’ se torne positivo durante o ano de 2017, dado o investimento intensivo a realizar no negócio de Exploração e Produção até esse ano. Este objectivo deverá ser atingido através do aumento previsto da geração de cash flow assegurada pelo crescimento do negócio de Exploração e Produção e pela resiliência dos negócios de downstream e gás natural”, revela a Galp Energia no documento enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A empresa revela ainda que poderá vender activos não estratégicos e avança que está a “gerir activamente as suas necessidades de refinanciamento, tendo vindo a estender a maturidade da sua dívida, nomeadamente aquela que vence em 2013 e em 2014”.

“Esta renegociação da dívida é fundamental para a manutenção da solidez da estrutura de capital sólida que caracteriza a Galp Energia. O rácio de dívida líquida/EBITDA deverá aumentar até cerca de 2x, mas descerá rapidamente após 2016”, estima a petrolífera.

Galp quer produzir 300 mil barris de petróleo por dia em 2020

A petrolífera define como objectivo a perfuração de sete a 10 poços de alto impacto por ano, “com o objectivo de descobrir entre 100 a 200 milhões de barris de petróleo equivalente de recursos por ano”, e a produção de 300 mil barris de petróleo equivalente por dia em 2020.

Este último objectivo, será alcançado através de projectos já identificados pela empresa, e será suportado pela estratégia de exploração delineada”. “Durante a fase de desenvolvimento, o objectivo da Galp Energia é maximizar o valor dos projectos, procurando aumentar tanto quanto possível o factor de recuperação dos recursos, optimizar o investimento, acelerar o tempo até à monetização dos recursos, e reduzir simultaneamente o risco de execução”, refere a Galp.

See it on Scoop.it, via IND
 
Facebook | Condições gerais de venda | Pagamento e envio | Aos preços indicados acresce IVA à taxa legal em vigor.
 
© IND - Soluções de Sinalização 2011. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Datasuporte, Lda.